terça-feira

Quando me descobri gay


Muita gente vai me xingar agora, outros vão deletar este post sem nem mesmo ler, mas quero falar de um tema que traz muita angústia para muitas pessoas. Quando me descobri é o nome de um documentário muito interessante que vi na HBO, que mostra pessoas dando seus depoimentos sobre este momento crucial na vida delas: o momento da “descoberta” da sua orientação sexual.

Uma coisa que não pude deixar de notar é a profunda angústia que quase todos demonstravam quando se lembravam deste momento. A grande maioria relatou que caiu a ficha ainda crianças, 5 a 12 anos, e a carga emocional do medo e culpa era enorme, quase saltava da tela. Medo da reação da família quando descobrisse, medo do que as pessoas iriam falar, medo de ser excluído da sociedade, medo do inferno, culpa por causar este “desgosto”, de ser diferente, raiva de si mesmo por ser assim... Estas mulheres e homens cresceram sob uma tensão emocional tão forte, que até hoje, adultos, ela se refletia ainda em seus olhares, gestos e atitudes.

quinta-feira

O medo e o processo de desenvolvimento da confiança


Uma passagem tão famosa da bíblia sagrada e tão pouco entendida na íntegra, é João 20:24-29, onde Jesus aparece a Tomé. A lição que extraí dela é sobre a confiança.

Jesus aparece a Tomé 
Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus. Diziam-lhe, pois, ou outros discípulos: vimos o senhor.  Ele, porém, lhes respondeu: se eu não vir o sinal dos cravos nas mãos, e não meter a mão no seu lado, de maneira nenhuma crerei. Oito dias depois estavam os discípulos outra vez ali reunidos, e Tomé com eles. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, pôs-se no meio deles e disse: paz seja convosco.Depois disse a Tomé: chega aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; chega a tua mão, e mete-a no meu lado; e não mais sejas incrédulo, mas crente. Respondeu-lhe Tomé: senhor meu, e Deus meu!  Disse-lhe Jesus: porque me viste, creste?  
Bem-aventurados os que não viram e creram. 

João 20:24-29

Aprendi a ter confiança na marra. Sempre fui uma pessoa com certa quantidade de medo do futuro, do presente, das contas a pagar, de olhar o saldo bancário, de perder o emprego, de perder a empregada que tomava conta dos meus filhos pra que eu pudesse ir trabalhar, de ficar sozinha. Acho que todo mundo tem esses tipos de medo, em menor ou maior grau.

terça-feira

Emoções destrutivas x emoções inteligentes


As emoções descontroladas são a real causa de todos os problemas da humanidade e o motivo de todos os problemas individuais de cada um de nós. Egoismo, ciumes, raivas, culpas, medo... Não importa, em todos os lares, cidades, países, emoções como estas estão presentes em maior ou menor grau, e são o real motivo de ainda existir o chamado "carma" ou lei de causa e efeito.

Um exemplo simples apenas para ilustrar: conheci uma pessoa que, na infância, fora abandonado por sua mãe, sendo criado apenas pelo pai, tendo recebido uma educação extremamente rígida e violenta, sem demonstrações de carinho, como era o normal nos anos 30 e 40. Crescendo naquele ambiente triste, carente de atenções maternas, rejeitado, quando se casou transferiu toda a sua carência para a esposa, e isto o transformou em um homem extremamente ciumento, já que tinha pavor de perder de novo a "mãe". O medo se transformava em insegurança, a insegurança gerava ciúme, que arrasava sua autoestima, detonando a raiva. Seu ciúme excessivo acarretava em brigas enormes, tormentos para todos da família, tristeza e violência extrema. Quando a esposa se cansou de tanto sofrimento e decidiu pela separação, sua memória de rejeição voltou tão forte que ele se afundou no alcoolismo, acabando por arrasar todo seu corpo físico até seu desencarne prematuro, em condições bem precárias. Puro suicídio. Mais carma acumulado, que precisará ser transmutado.

Apenas um "se" poderia ter mudado toda esta história. Se ele tivesse feito um trabalho de autoconhecimento, poderia ter detectado o início do padrão negativo - dor da rejeição materna - e trabalhado seus pensamentos para desassociar a imagem da mãe à imagem da esposa, eliminando assim o medo de ser rejeitado novamente, que gerava todo o ciúme exagerado.

Reconheço que é muito difícil educar as emoções, mas emoções são como a fé, devem ser raciocinadas. Atualmente, o padrão de 99% dos humanos é: ter uma emoção baseada em experiências anteriores - emitir um pensamento baseado nesta emoção, que acaba por aumentar o grau da emoção anterior. Este é o padrão de emoções destrutivas.  Pessoas com um padrão inteligente de emoções são aquelas que conseguem raciocinar antes de ter um reação emocional, treinando seu consciente para questionar suas emoções (respostas do subconsciente) antes de reagirem a ela, ou seja, pensamento gerando emoção, que gera um sentimento. Este é o padrão desejado nos humanos da nova Terra.

Então, você se acha uma pessoa inteligente emocionalmente? Ou será que ainda está precisando desenvolver esta habilidade? Os resultados atuais da sua vida lhe dirão.

Será que você é uma alma velha? Parabéns, então!!


Eu simplesmente amo esta mensagem de Kryon. Ela me faz vibrar, me sentir feliz por estar neste planeta lindo neste momento, me dá uma grande alegria interior. Se você também quiser sentir um pouquinho desta alegria, tenha paciência de ler esta mensagem para fazer o seu dia valer a pena.


ATRIBUTOS DE UMA ALMA VELHA

Mensagem de Kryon através de Lee Carroll   20 de Agosto de 2010, Havaí

Saudações, meus amados, eu sou Kryon, do Serviço Magnético.

Eu estou sempre ciente de onde estou. Sei quem está diante de mim, vejo as suas vidas passadas, vejo as perguntas que têm. Oh, meus amados, o que parece tão complexo para vocês, é tão fácil para Deus. Vocês podem verdadeiramente liberar e deixar estas coisas se dissolverem, em um método que é tão sagrado para vocês? Porque eu conheço alguns dos enigmas que estão aqui. Então, durante estes momentos, quero que vocês sintam não somente o amor de Deus em suas vidas, mas também o amor que a ilha tem por vocês. Há um atributo que os habitantes lhes contarão: se a ilha não gostar de vocês, ela lhes falará; fará com que seja muito difícil para vocês viverem aqui e vocês saberão que não são parte da família.

O que vocês sentiram até agora? A água saudou vocês? E os animais dentro dela? Vocês se sentiram bem-vindos quando dormiram? Para alguns de vocês demorou um pouco, não é? As águas de Lemúria estão cheias de poder, alguns dos objetos cristalinos ainda estão lá, ressoando com a história de Lemúria. Então, talvez na segunda ou na terceira vez tenham se sentido mais confortáveis e, finalmente, quiseram permanecer lá, não foi?

Quando vocês se dirigiram à beira da cratera, como vocês se sentiram? Puderam senti-la respondendo a vocês? Vocês perceberam o vento soprando? Ela não faz isso sempre. A respiração de Phele (deusa do vulcão), saudando vocês todos.


Atributos dos presentes
Estes são os atributos dos que estão nessa sala, porque todos os que estão aqui são almas velhas. Alguns de vocês sabem disso, outros não. Alguns de vocês estão extremamente cientes disso, outros não. Alguns de vocês começam a aprender o potencial de quem são; vocês ponderam sobre isso. Vocês chegam de dezenas de milhares de milhas, talvez até mesmo a um lugar que não fala as suas línguas. Vocês podiam realmente ter vivido aqui, nos dias originais (de Lemúria)? O que a ilha diz a vocês? Lembrem-se disto: nenhum de vocês fala Lemuriano. Não importa. As sociedades nas quais vocês vivem agora é o lugar onde a terra espalhou vocês, onde seus registros akáshicos são os mais confortáveis, onde vocês mantêm suas luzes. Talvez a mensagem que devam saber seja esta: vocês podem estar em qualquer lugar em que queiram; não há nenhum limite quanto a onde possam ir nem para o que possam fazer, porque vocês são encarregados de suas próprias embarcações e a mudança neste planeta tornou isso ainda mais profundo. Eu amo falar sobre almas velhas, porque tenho uma sala cheia delas, sem nenhuma exceção. Todos vocês são atraídos a este lugar e isto diz muitas coisas sobre vocês. Se eu posso ver isto, enquanto se assentam na energia do Espírito, quero que mergulhem na energia, tal como fizeram no oceano. Vocês podem se sentir confortáveis por pelos menos alguns minutos e se sentirem amados? Vocês podem largar as barreiras que trouxeram - as que podem até mesmo estar criticando esta canalização – e deixar o Espírito entrar? O que vocês têm a perder? Eu disse isso antes, não disse?

quinta-feira

Como o que acreditamos inconscientemente pode atrapalhar nossas vidas

Não importa qual seja sua crença, positiva ou negativa, o Universo sempre vai te mostrar que você está sempre certo, que não é mentiroso.  E quando temos crenças negativas ou limitantes então, aí é que a coisa fica triste, parece que nada dá certo, a vida anda sempre pra trás. O pior é que, na maioria das vezes, nem temos consciência que temos as tais crenças.

Eu adoro cinema e um filme que gosto muito chama-se O Amor É Cego. É uma comédia romântica adorável com uma mensagem muito legal sobre autoestima e crenças.  Hal (Jack Black) é um homem que segue à risca o “conselho” de seu pai e apenas se interessa por mulheres que tenham um físico perfeito. Mas essa crença o impede de ser feliz no amor, porque apenas se interessa por mulheres lindas e fúteis, que não o levam a sério.  Porém, logo no começo do filme, uma frase me chama a atenção. A personagem Katrina divide um táxi com Hal e ele pede seu telefone. Ela, que se achava feia, diz que era melhor ele lhe dar o número, porque com a sorte que eu tenho, você vai acabar perdendo o meu telefone e não vai me ligar. Olha aí uma crença negativa de peso! É claro que o que ela acreditava acabou acontecendo mesmo. E ele não ligou porque se apaixonou por Rosemary.

terça-feira

Os riscos da contaminação nos atendimentos energéticos


Ontem, eu estava estudando e pesquisando sobre orações e este excelente texto do Rodrigo Romo me chamou a atenção sobre a importância da correta proteção que nós, terapeutas, devemos ter ao lidar com todas as pessoas, clientes ou não. Já presenciei as conseqüências desta invigilância, severas até, com sérios riscos para a saúde do terapeuta, além de ter acarretado na desistência de sua profissão. Julgo importante compartilhar com meus colegas e por isso resolvi postar aqui no blog.

Contaminação nos atendimentos energéticos

Este tema é fundamental para entenderem as diferentes vibrações que existem no campo emocional das pessoas e, portanto, no eletromagnetismo das mesmas, pois aqui existe o que definimos como “compatibilidade para contaminação”.